Padrão de Raça Schnauzer Gigante

Schnauzer Gigante

Raça: Schnauzer Gigante

Grupo: Cães de Guarda e Utilidade

Função: Cão de Guarda e Companhia

País de origem: Alemanha

Aprovado por: Osmir de Moraes Bastos - Presidente

 

APARÊNCIA GERAL: grande, forte, mais para compacto que para delgado. De tamanho maior e aparência poderosa. É um cão imperturbável, preparado para defesa e cuja aparência mostra respeito.

PROPORÇÕES IMPORTANTES

  •  de construção quadrada, onde a altura da cernelha é quase igual ao comprimento do corpo.
  •  o comprimento da cabeça (medido da ponta da trufa ao occipital), corresponde à metade do comprimento da linha superior (medido da cernelha à inserção da cauda).

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: tem como características típicas: boa índole e incorruptível lealdade a seu dono. Possui sentidos altamente desenvolvidos, inteligência, aptidões para o treinamento, força, tolerância, velocidade e resistência contra intempéries e doenças. Seu equilíbrio natural para aguentar tensão e sua segurança, faz do Schnauzer um excelente cão de companhia, de esporte, de utilidade e trabalho.

CABEÇA

REGIÃO CRANIANA

Crânio: forte, longo, occipital não pronunciado. A cabeça deve estar em equilíbrio com a força do cão. A testa é plana, sem rugas e paralela à cana nasal.

Stop: aparenta ser bem definido devido às sobrancelhas.

REGIÃO FACIAL

Trufa: bem desenvolvida com narinas largas, sempre preta.

Focinho: terminando em cunha. Cana nasal reta.

Lábios: pretos, macios e bem ajustados aos maxilares. Comissura labial fechada.

Maxilares / Dentes: maxilar superior e inferior fortes. Uma completa mordedura em tesoura (42 dentes brancos de acordo com a fórmula dentária), é fortemente desenvolvida e firmemente fechada. Os músculos da mastigação são fortemente desenvolvidos, mas as bochechas não devem interferir com a forma retangular da cabeça (com a barba).

Olhos: de tamanho médio, ovais, frontais, escuros, com expressão viva. Pálpebras bem ajustadas.

Orelhas: caídas, inseridas altas, em forma de V com as bordas internas estendidas próximas às bochechas, portadas uniformemente, voltadas para a frente em direção às têmporas. Dobras paralelas, não devem ultrapassar a linha do crânio.

PESCOÇO: forte, musculoso, nobremente arqueado, encaixando-se suavemente na cernelha.

Fortemente inserido, estreito, de porte nobre, correspondendo à força do cão. Pele da garganta aderente sem barbelas.

TRONCO

Linha superior: ligeiramente inclinada da cernelha até a raiz da cauda.

Cernelha: formando o ponto mais alto da linha superior.

Dorso: forte, curto e reto.

Lombo: curto, forte e profundo. A distância da última costela até a garupa é curta fazendo o cão parecer compacto.

Garupa: ligeiramente arredondada, passando imperceptivelmente para a inserção da cauda.

Peito: moderadamente largo, de diâmetro oval, atingindo os cotovelos. O antepeito é distintamente marcado pela ponta do esterno.

Linha inferior / Ventre: flancos não muito esgalgados, formando uma linha bem curvada com a parte inferior das costelas.

CAUDA: natural; busca-se que seja portada em forma de sabre ou foice.

MEMBROS

ANTERIORES: vistos de frente, as pernas dianteiras são fortes, retas e não demasiadamente juntas.

Vistos de perfil, os membros anteriores são retos.

Ombros: a escápula é colocada rente à caixa torácica e é bem musculosa em ambos os lados do osso do ombro, proeminente acima do ponto da vértebra torácica. Os mais inclinados possíveis e bem colocados formando um ângulo de aproximadamente 50° com a horizontal.

Braços: bem rentes ao corpo, fortes e bem musculosos, formando um ângulo de 95° a 105° com a escápula.

Cotovelos: bem rentes ao corpo, não virando nem para dentro nem para fora.

Antebraços: vistos por todos os lados, completamente retos, fortemente desenvolvidos e bem musculosos.

Articulação do carpo: forte, firme, apenas saliente em relação à estrutura do antebraço.

Metacarpos: vistos de frente, verticais. Vistos de perfil, ligeiramente inclinados para o solo, fortes e ligeiramente elásticos.

Patas: curtas, redondas. Dedos bem fechados e arqueados (patas de gato) com unhas curtas e escuras e almofadas resistentes.

POSTERIORES: vistos de perfil, colocados obliquamente; vistos por trás, colocados paralelamente, mas não muito próximos um do outro.

Coxas: moderadamente longas, largas e fortemente musculosas.

Joelhos: não virando nem para dentro nem para fora.

Pernas: longas e fortes, com tendões evidentes descendo para um forte jarrete.

Jarretes: muito bem angulados, fortes, firmes, não virando nem para dentro nem para fora.

Metacarpos: curtos e verticais com o solo.

Patas: dedos curtos, arqueados e bem fechados. Unhas curtas e pretas.

MOVIMENTAÇÃO: flexível, elegante, ágil, livre e cobrindo o solo. As pernas dianteiras alcançam o mais longe possível; os posteriores cobrem o chão e são elásticos dando a propulsão necessária. Os anteriores de um lado e os posteriores do outro movimentam-se para frente ao mesmo tempo. O dorso, os ligamentos e as articulações são firmes.

PELE: ajustada sobre todo o corpo.

PELAGEM

Pelo: deve ser de pelo duro, de arame e denso. Consiste em um denso subpelo e uma pelagem de cobertura não muito curta, deitada rente ao corpo. A pelagem de cobertura é dura, suficientemente longa para comprovar sua textura; não deve ser eriçada, nem ondulada. Nos membros, o pelo tende a ser menos duro. Na testa e nas orelhas, é curto. Como características típicas, tem uma barba não muito macia no focinho e sobrancelhas cerradas que cobrem ligeiramente os olhos.

COR

  • preto sólido com subpelo preto.
  • sal e pimenta.

O objetivo da criação, na cor sal e pimenta, é uma nuança média igualmente distribuída e bem pigmentada com o subpelo cinza. São admitidas variações do cinza escuro ao cinza-prata. Todas essas cores devem incluir uma máscara escura, que deve adaptar- se harmoniosamente à respectiva cor, enfatizando a expressão. Distintas marcas brancas na cabeça, no peito e nos membros são indesejáveis.

TAMANHO / PESO

Altura na cernelha: machos e fêmeas: 60 a 70 cm.

Peso: machos e fêmeas: 35 a 47 kg.

FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão.

Particularmente:

  • cabeça em geral muito pequena ou muito curta.
  • crânio pesado ou redondo.
  • rugas na testa.
  • focinho curto, pontudo ou estreito.
  • mordedura em torquês.
  • bochechas e arcadas zigomáticas muito pronunciadas.
  • olhos claros, muito grandes ou muito pequenos.
  • orelhas de inserção baixa, muito compridas ou portadas irregularmente.
  • papada.
  • barbela, pescoço estreito ( de cisne ).
  • dorso muito longo, ascendente ou flexível.
  • dorso carpeado.
  • garupa caída.
  • cauda inclinada em direção à cabeça.
  • patas compridas.
  • passo de camelo.
  • pelagem muito curta ou muito longa, macia, ondulada, sedosa; manchas brancas ou manchada com outras tonalidades.
  • subpelo marrom.
  • nos exemplares sal e pimenta: uma sela ou uma linha preta sobre o dorso.
  • tamanho acima ou abaixo em 2 cm.

FALTAS GRAVES

  • estrutura pesada ou leve. Pernalta ou pernas curtas.
  • características sexuais invertidas.
  • cotovelos virados para fora.
  • posteriores retos ou em barril.
  • jarretes de vaca.
  • tamanho acima ou abaixo em mais de 2 cm e menos de 4 cm.

FALTAS DESQUALIFICANTES

  • tímido, agressivo, violento, comportamento exageradamente desconfiado ou nervoso demais.
  • qualquer tipo de deformidade.
  • falta de tipicidade da raça.
  • prognatismo superior ou inferior, torção de mandíbula.
  • defeitos graves em partes individuais, como defeitos de estrutura, de pelagem e de cores.
  • tamanho acima ou abaixo em mais de 4 cm.
  • todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

NOTA:

Os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.

Designer by Neoware - Criação e Desenvolvimento de Websites e Sistemas - Desafie nossa Criatividade