Padrão de Raça Spaniel Bretão

Spaniel Bretão

Raça: Spaniel Bretão

Grupo: Cães de Caça e Aponte

Função: Cão de Caça

País de Origem: França

 

BREVE RESUMO HISTÓRICO:  Originário da França, mais precisamente da Bretanha Central. Atualmente, é numericamente a primeira raça de aponte francesa. Provavelmente, um dos mais antigos cães do tipo spaniel, aperfeiçoado desde o começo do século XX por diversos cruzamentos e seleções. Um projeto do padrão da raça elaborado em Nantes, em 1907, foi apresentado e adotado por ocasião da primeira assembléia do Clube, em Loudéac (ex Côtes du Nord, agora Côtes d’Armor), em 07 de junho de 1908. Foi o primeiro padrão do “Clube do Spaniel Bretão de Cauda Curta Natural”.
APARÊNCIA GERAL: É o menor dos cães de aponte. O Spaniel Bretão é um bracóide de cauda curta ou sem cauda. Harmoniosamente construído sobre uma sólida ossatura, sem ser pesado. O conjunto é compacto e atarracado, todavia, sem ser pesado, ficando suficientemente elegante. É um cão vigoroso, de olhar vivo e expressão inteligente. O aspecto de um “COBBY” (braquimórfico), pleno de energia, que conservou na sua evolução o modelo brevilíneo desejado e fixado pelos
reformadores da raça.
PROPORÇÕES IMPORTANTES
• O crânio é mais longo do que o focinho, numa relação 3:2.
• A cabeça proporcionada ao corpo.
• A profundidade do peito é ligeiramente inferior à metade da altura do cão na cernelha.
• O comprimento escápulo-isquial
REGIÃO CRANIANA: Ligeiramente arredondada, vista de frente ou de perfil. Vistas de cima, as faces laterais são ligeiramente convexas. As linhas crânio-focinho são paralelas. A largura do crânio entre as arcadas zigomáticas é inferior ao seu comprimento. As arcadas superciliares não são proeminentes, mas formam uma curva ligeiramente arredondada. O sulco mediano assim como a crista sagital são pouco marcados. O stop é moderado. O occipital e as arcadas zigomáticas são mediamente
marcados.
REGIÃO FACIAL
Trufa: Larga, com narinas muito grandes, úmidas e bem abertas; de cor em harmonia com a pelagem, assim como as bordas das pálpebras e os orifícios naturais.
Focinho: Retilíneo; as faces laterais são quase paralelas.
Lábios: Não são pendentes, nem muito grandes, relativamente finos e bem aderentes. O lábio inferior discretamente escondido pelo superior, cujo contorno se encurva progressivamente até a comissura pouco aparente e bem fechada. Conjunto sem
despigmentação.
Maxilares / Dentes: Dentição bem implantada, completa e saudável. Mordedura em tesoura.
Bochechas: Pouco carregadas, pele bem aderente.
Olhos: Ligeiramente oblíquos. Quase ovais; expressão inteligente, doce e franca; não globulosos; pálpebras finas, bem aderentes e pigmentadas. A cor da íris em harmonia com a pelagem, de preferência escura. A expressão dos olhos, associada ao movimento da base das orelhas para cima, dá origem à verdadeira “expressão bretã”.
Orelhas: Inseridas altas, triangulares, relativamente largas, de preferência curtas (esticadas para a frente, a extremidade da orelha atinge o stop). Parcialmente cobertas de pelos ondulados, sobretudo na parte superior; a extremidade é coberta de pelos rasos. Sempre muito móveis quando o cão está atento ou em ação.
PESCOÇO: De comprimento médio e bem musculoso; troncudo, ligeiramente arqueado, jamais arredondado. Inserido suavemente nos ombros e sem barbelas.
TRONCO
Linha superior: Reta até o lombo e o começo da garupa.
Cernelha: Suficientemente móvel e pouco marcada, sem ser carregada.
Dorso: Reto, curto e rígido, bem ligado ao lombo.
Lombo: Curto, largo, musculoso.
Garupa: Ligeiramente inclinada, larga e musculosa.
Articulação Coxofemoral: Ligeiramente inclinada, larga e musculosa.
Peito: Descido até o nível da ponta do cotovelo; largo com costelas bem arqueadas, sem serem em barril. Esterno largo e pouco elevado para trás. As últimas costelas são longas e flexíveis.
Ventre: Ligeiramente elevado.
Flancos: Pouco elevados e curtos.
CAUDA: Inserida alta, portada horizontalmente ou ligeiramente caída, quase sempre em movimento quando o cão está atento ou em ação. O Spaniel Bretão pode nascer anuro (sem cauda) ou com cauda curta. Quando a cauda é cortada, o comprimento ideal é de 3 a 6 cm. A cauda cortada não deve exceder 10 cm.
MEMBROS
ANTERIORES: Bem equilibrados, robustos e articulações flexíveis.
Ombros: Móveis, longos (30% da altura na cernelha), bem ajustados com músculos espessos. Sua obliquidade é de um galopador, compreendida entre 55° e 60° com a horizontal. 
Patas: De preferência redondas, com dedos fechados, almofadas firmes e unhas curtas.
Posteriores: Vistos por trás, bem equilibrados e paralelos.
Coxas: Largas, com músculos espessos e salientes. Sua obliqüidade em relação à horizontal é de 70° a 75°.
Pernas: De comprimento levemente superior ao das coxas, com músculos secos e salientes. Largas, na sua parte superior, diminuindo progressivamente para a articulação do jarrete. O ângulo fêmuro-tibial aproxima-se de 130°.
Jarretes: Secos, com tendões aparentes.
Metatarsos: Robustos, vistos de perfil; sua direção é muito próxima da vertical.
Patas: Mais compridas do que as anteriores, conservando as mesmas características.
MOVIMENTAÇÃO: As diferentes andaduras são fáceis, mas possantes, amplas e vivas. Os membros se deslocam bem em linha, sem oscilações verticais exageradas do corpo e sem balançar (rolling); a linha do dorso permanece firme. O canter (galope em 3 tempos), é a principal movimentação sobre o terreno, onde as passadas são rápidas e de amplitude média e os posteriores são extendidos totalmente.
PELE: Fina, aderente e bem pigmentada.
PELAGEM
Pelo: Deve ser fino, sem ser sedoso, assentado ou ligeiramente ondulado sobre o corpo. Jamais frisado. Raso sobre a cabeça e na parte anterior dos membros. A parte posterior dos membros é provida de um pelo abundante com franjas que diminuem progressivamente de comprimento até o carpo, o tarso e mesmo abaixo.
COR: Branco e laranja, branco e preto, branco e fígado, salpicados com manchas brancas irregulares. Pelagem malhada ou ruão, algumas vezes mosqueado sobre o focinho, lábios e membros. Igualmente, no caso de pelagem tricolor com manchas fogo (do laranja ao fogo escuro), acima e nas laterais do focinho, acima dos olhos, nos membros, no peito e acima da raiz da cauda. A listra branca estreita da cabeça é desejada em todas as cores. A pelagem unicolor não é admitida.
TAMANHO
Machos: Mínimo de 48 cm - com uma tolerância de menos 1 cm. Máximo de 51 cm - com uma tolerância de mais 1 cm. Ideal: de 49 a 50 cm.
Fêmeas: Mínimo de 47 cm - com uma tolerância de menos 1cm. Máximo de 50 cm - com uma tolerância de mais 1cm. Ideal: de 48 a 49 cm.
FALTAS: Qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão.
• Caráter: Timidez; olhar fugidio.
• Linhas da cabeça: Levemente divergente.
• Trufa e interior das narinas: Levemente despigmentadas.
• Dentes: Articulação em pinça. Dentes desalinhados.
• Focinho: Pontudo.
• Lábios: Grossos, não caídos ou caídos demais; frouxidão excessiva.
• Olhos: Globulosos, amendoados ou redondos.
• Orelhas: Inseridas muito baixas, pendendo abruptamente.
• Dorso: Selado ou carpeado.
• garupa: Muito estreita ou caída.
• Abdome: Volumoso, esgalgado.
• Patas: Cedidas, muito longas ou redondas.
• Pescoço: Muito curto e grosso; ligeira barbela.
• Lombo: Longo, estreito ou fraco.
• Flancos: Muito profundos, muitas vezes associados a um lombo fraco, faltando
largura.
• Membros: Falta de ossatura; cotovelos soltos; patas virando para fora ou para
dentro.
• Pelo: Pelagem leve sobre o corpo.
FALTAS GRAVES
• Comportamento: Temperamento indolente.
• Crânio: Arcadas zigomáticas muito proeminentes; stop muito marcado; arcadas
superciliares muito proeminentes.
• Olhos: Claros; olhar agressivo, de aves de rapina.
• Pescoço: De comprimento excessivo; barbelas.
• Movimento: Embaraçado.
• Qualquer defeito de caráter: Cão mordedor, agressivo com outros cães ou com
pessoas. Cão medroso.
• Falta de tipicidade: Insuficiência de características étnicas, que fazem com que
um cão em seu conjunto não seja semelhante aos congêneres.
• Tamanho: Fora dos limites do standard.
• Linhas da cabeça: Convergência caracterizada.
• Manchas: Manchas brancas nas orelhas, e olhos posicionados sobre uma região
branca.
• Olhos: Muito claros, de duas cores. Estrabismo; entrópio; ectrópio.
• Maxilares: Prognatismo superior ou inferior.
• Dentes: Os P1 como os M3 inferiores são considerados sem importância. Admitese
a ausência de 2 PM2 ou de 1 PM2 e 1 PM3. É eliminatória a ausência destes 2
dentes (PM2 e PM3). A ausência de qualquer outro dente é falta eliminatória.
• Pigmentação: Falta de pigmentação na trufa e nas pálpebras.
• A presença de ergôs, mesmo rudimentares.
• Anomalia morfológica grave.
NOTAS:
• Os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem
descidos e acomodados na bolsa escrotal.
• Somente os cães clinicamente e funcionalmente saudáveis e com conformação
típica da raça deveriam ser usados para a reprodução.