Padrão de Raça Cão Lobo Tchecoslovaco

Cão Lobo Tchecoslovaco

Cão Lobo Tchecoslovaco

Grupo 01: Cães Pastores

Função: Pastoreio e Guarda

País de Origem: Tchecoslováquia

 

RESUMO HISTÓRICO: no ano de 1955, foi realizada na CSSR (atual
Tchecoslováquia), uma experiência biológica, onde se cruzou um cão da raça Pastor
Alemão com uma loba da Carpátia. Este tipo de experiência demonstrou que era
possível obter e criar uma descendência tanto pelo cruzamento de um cão com uma
loba, quanto de um lobo com uma fêmea canina. A maioria dos produtos destes
acasalamentos possuía as aptidões genéticas necessárias para a continuação da
criação. Em 1965, após o término das experiências, elaborou-se um plano de criação
sistemática desta nova raça, que deveria unir as características do lobo com as
qualidades favoráveis do cão. Em 1982, por meio do Comitê Geral dos Criadores
Associados da CSSR daquela época, o Cão Lobo Tchecoslovaco foi reconhecido
como raça nacional.
APARÊNCIA GERAL: de constituição robusta, com tamanho maior do que o
médio e o corpo com formato retangular. Pela sua construção, movimentação, textura
e cor do pelo e máscara, é parecido com um lobo.

PROPORÇÕES IMPORTANTES
• comprimento do corpo: altura na cernelha: 10 : 9
• comprimento do focinho: comprimento do crânio: 1 : 1,5

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: vivo, ativo, resistente, dócil com
reações rápidas. Destemino e corajoso. Desconfiado. Demonstra uma excepcional
fidelidade para com o seu dono. Resistente às intempéries. Cão de utilidade versátil.


CABEÇA: simétrica, bem musculosa. Vista de perfil ou por cima, em forma de
cunha truncada. Características sexuais bem definidas

REGIÃO CRANIANA
Crânio: visto de frente e de perfil, a testa é ligeiramente arqueada. Não apresenta um
sulco frontal marcado. Protuberância occipital claramente visível.
Stop: moderado

REGIÃO FACIAL
Trufa: de forma oval; preta.
Focinho: seco, não largo; Cana nasal reta.
Lábios: bem aderentes. Comissura labial fechada. As bordas dos lábios são pretas.

Maxilares / Dentes: maxilares fortes e simétricos. Dentes bem desenvolvidos,
especialmente os caninos. Mordedura em tesoura ou pinça, com 42 dentes, de acordo
com a fórmula dentária. Dentição regular.
Bochechas: secas, suficientemente musculosas, não sobressaindo marcadamente.
Olhos: pequenos, oblíquos, de cor âmbar. Pálpebras bem aderentes.
Orelhas: eretas, finas, triangulares, curtas (não ultrapassando 1/6 da altura na cernelha); o ponto mais lateral da inserção da orelha e o ângulo externo do olho estão em uma linha reta. Uma linha vertical imaginária desde a ponta da orelha para baixo, tocaria de leve, ao passar, a borda lateral da cabeça.


PESCOÇO: seco, bem musculoso. Em repouso, forma um ângulo de até 40º com a
horizontal. Deve ser suficientemente longo para que a trufa alcance o solo sem esforço.

TRONCO
Linha superior: harmoniosamente fundida do pescoço ao tronco. Ligeiramente
inclinada.
Cernelha: bem musculosa e pronunciada, porém, não a ponto de interferir na
harmonia da linha superior.
Dorso: firme e reto.
Lombo: curto, bem musculoso, sem ser largo e ligeiramente inclinado.
Garupa: curta, bem musculosa, sem ser larga e ligeiramente inclinada.
Peito: simétrico, bem musculoso, amplo, em forma de pêra e estreitando-se em
direção ao esterno. Sua profundidade não deve alcançar os cotovelos. A ponta do
esterno não se estende além da articulação do ombro.
Linha inferior e Ventre: abdome ligeiramente esgalgado com flancos levemente
encolhidos.

CAUDA: inserida alta, pendente reta com o cão em repouso. Quando em ação,
geralmente elevada e portada em forma de foice.

MEMBROS ANTERIORES: retos, fortes, secos e próximos entre si, com patas ligeiramente
voltadas para fora.
Ombros: escápulas estão posicionadas bem para frente, bastante musculosas. Formam
um ângulo de aproximadamente 65º com a horizontal.
Braços: fortemente musculosos, formam com as escápulas um ângulo de 120° a
130º.
Cotovelos: aderentes ao corpo, não virados nem para dentro nem para fora, bem
definidos e flexíveis. O braço e o antebraço formam entre si, um ângulo de
aproximadamente 150º.
Antebraços: longos, secos e retos. O comprimento do antebraço e do metacarpo é
de 55% da altura na cernelha.
Carpos: sólidos, flexíveis.
Metacarpos: longos, formam um ângulo de pelo menos 75º com o solo. Movimento
ligeiramente elástico.
Patas: largas, ligeiramente voltadas para fora. Longos dedos arqueados e fortes;
unhas pretas. Almofadas bem definidas, elásticas e pretas.

POSTERIORES: poderosos e paralelos. Uma linha vertical imaginária, partindo da
ponta do ísquio, passaria pelo meio dos jarretes. Os ergôs são indesejáveis e devem
ser retirados.
Coxas: longas, bem musculosas. Formam um ângulo de 80º com a pelve. A articulação
coxo-femoral é vigorosa e flexível.
Joelhos: fortes e flexíveis.
Pernas: longas, secas, bem musculosas. Formam um ângulo de 130º com os jarretes.
Articulação dos jarretes: secas, sólidas e flexíveis.
Jarretes: longos, secos. Quase verticais ao solo.
Patas: longas, dedos arqueados com fortes unhas pretas.


MOVIMENTAÇÃO: harmoniosa, ágil, cobrindo bem o solo com o movimento
das patas o mais próximo possível do solo. A cabeça e o pescoço inclinam-se para a
horizontal. Anda em passo de camelo.

PELE: elástica, firme, sem dobras; não pigmentada.

PELAGEM
Pelo: reto e bem assentado. As pelagens de inverno e a de verão são bem distintas.
No inverno predomina um imenso subpelo e junto com o pelo de cobertura, forma
uma grossa pelagem sobre todo o corpo. É necessário que o pelo cubra o ventre, a
face interna dos membros, o escroto, a parte interna das orelhas e as áreas entre os
dedos. Pescoço bem coberto por pelos.
COR: do cinza-amarelado ao cinza-prateado com uma máscara clara característica.
Pelos claros também na base do pescoço e no antepeito. A cor cinza escuro com
máscara clara é permitida.

TAMANHO / PESO
Altura na cernelha: machos, pelo menos: 65cm
fêmeas, pelo menos: 60cm
Peso: machos, pelo menos: 26kg
fêmeas, pelo menos: 20kg


FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como
falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem
estar do cão.
• cabeça pesada ou leve;
• testa plana;
• ausência de até dois PM1 (pré-molar 1) ou de dois M3 (molar 3) não deve ser
penalizado. Entretanto, será considerado como falta, a ausência de 2 PM1 e 1 M3;
ou de 2 M3 e 1 PM1.
• olhos marrons escuros, pretos ou de cores diferentes;
• orelhas grossas, de inserção alta ou baixa;
• pescoço portado alto quando em repouso; em posição baixa quando em atenção;
• cernelha pouco marcada;
• linha superior atípica;
• garupa longa;
• cauda longa, inserida baixa e portada incorretamente;
• angulações dos membros anteriores insuficientes ou exageradas;
• carpos fracos;
• angulações dos membros posteriores insuficientes ou exageradas; musculatura
insuficiente;
• máscara pouco marcada;
• movimento curto e ondulante.

FALTAS ELIMINATÓRIAS
• agressividade ou timidez excessiva;
• proporções discrepantes;
• comportamento e caráter inadequados;
• cabeça atípica;
• outras faltas dentárias (exceto 2 PM1 e o M3, veja no item faltas), mordedura
irregular;
• posição e forma atípica dos olhos;
• inserção e forma atípica das orelhas;
• barbelas;
• garupa excessivamente inclinada;
• caixa torácica atípica;
• inserção e porte atípico da cauda;
• posição defeituosa ou atipia dos membros anteriores;
• pelagem muito longa, ultrapassando o tamanho do corpo; atípica;
• outras cores além das previstas no padrão;
• ligamentos articulares frouxos;
• movimentação atípica;

NOTAS:
• os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem
desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.
• todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento
deve ser desqualificado.

Designer by Neoware - Criação e Desenvolvimento de Websites e Sistemas - Desafie nossa Criatividade