Padrão de Raça Schipperke

Schipperke

Raça: Schipperke

Grupo: Cães de Companhia

Função: Cão de Companhia

País de origem: Bélgica

Aprovado por: Osmir de Moraes Bastos - Presidente

 

APARÊNCIA GERAL: O Schipperke é um cão pastor de pequenas dimensões mas solidamente construído. Sua cabeça é em forma de cunha, com um crânio bem desenvolvido e um focinho relativamente curto. Seu corpo é bem balanceado, curto, largo e atarracado, mas seus membros são de ossatura fina. Sua pelagem é muito característica, com pelos abundantes, retos, formando uma juba, crina, colar e culotes que lhe dão uma silhueta verdadeiramente única. A diferença entre os sexos é evidente. Sua correta morfologia aliada às suas características e temperamento de cão pastor, e adicionado ao seu pequeno tamanho explica sua grande popularidade que se estende bem além das fronteiras da Bélgica.

PROPORÇÕES IMPORTANTES

  • a altura na cernelha é igual ao comprimento do corpo, por isso, ele é um cão de construção quadrada.
  • o peito desce ao nível dos cotovelos.
  • o focinho é definitivamente menos longo do que a metade do comprimento da cabeça.

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: um excelente pequeno cão de guarda; de excepcional atenção, de intensa vitalidade, indiferente com estranhos.

Ativo e sempre em movimento, ágil, infatigável, sempre interessado ao que se passa ao seu redor, inclinado a morder, caso alguém se aproxime de objetos por ele guardados; muito dócil com crianças; sempre curioso ao que se passa por trás de uma porta fechada ou atrás de um objeto que se mova, mostrando sua reação com um latido agudo, sua crina enriçada e com os pelos do dorso arrepiados. Ele é um cão curioso que caça ratos, toupeiras e outros roedores.

CABEÇA: lupóide, em forma de cunha, mas não muita longa e larga o bastante para ficar balanceada com o corpo. Os ossos das arcadas superciliares e bochechas, são moderadamente arqueadas. A passagem entre a região craniana para a região facial é visível, mas não deve ser pronunciada demais.

REGIÃO CRANIANA: a cabeça de frente é larga, estreitando em direção aos olhos; ligeiramente arredondada, quando vista de perfil. As linhas superiores do crânio e do focinho são paralelas.

Stop: pronunciado, mas não exagerado.

REGIÃO FACIAL

Trufa: pequena, sempre preta.

Focinho: afinando em direção à trufa; bem cinzelada, não muito longo, ponta não truncada; aproximadamente com 40% do comprimento da cabeça; focinho retilíneo.

Lábios: pretos, bem aderentes.

Maxilares / Dentes: saudáveis, bem inseridos. Mordedura em tesoura; em torquês é tolerada. Dentição completa de acordo com a fórmula dentária. A falta de um ou dois pré-molares 1(1PM1 ou 2PM1) ou do pré-molar 2 (1PM2) é tolerado e os molares 3 (M3) não devem ser considerados.

Bochechas: bem formadas, unindo-se imperceptivelmente nas laterais do focinho.

Olhos: marrom escuros, pequenos, amendoados, não muito profundos, nem globulosos; agudos, olhar vivo e malicioso, bordas das pálpebras pretas.

Orelhas: eretas, muito pequenas, pontudas, triangulares (as mais equilaterais possíveis). Inseridas altas mas não muito próximas uma da outra, firmes e extremamente móveis.

PESCOÇO: forte, poderosamente musculoso e parecendo muito volumoso em razão da pelagem abundante ao redor do pescoço. Tamanho médio, bem inserido nos ombros; bem portado e mais alto quando o cão está em alerta, a linha superior é ligeiramente arqueada.

TRONCO: curto e largo,  por isso atarracado, mas não massudo demais ou pesado; idealmente inscrito em um quadrado; seu comprimento da ponta do ombro à pontado ísquio é igual a altura da cernelha ao solo.

Linha superior: a linha superior do dorso ao lombo e reta e firme, muitas vezes subindo ligeiramente da garupa até a cernelha.

Cernelha: muito pronunciada até mesmo por causa da juba.

Dorso: curto, reto e forte.

Lombo: curto, largo e poderoso.

Garupa: curta, larga e horizontal; a parte posterior da garupa, isto é,  a junção entre a garupa e a ponta da nádega é agradavelmente arredondada, sua forma é conhecida como garupa de porco da Guinéa.

Peito: bem descido até a linha dos cotovelos, largo na frente e também atrás dos ombros, o que lhe dá um bom arqueamento das costelas. De perfil, o antepeito é proeminente.

Linha inferior: a linha inferior do peito bem descida, atingindo os cotovelos e se levantando harmoniosa e gentilmente em direção ao ventre, que tem um esgalgamento moderado; nem pendente, nem como de galgost.

CAUDA: inserida alta. Alguns cães nascem completamente sem ela (anuro) ou com uma rudimentar ou incompleta cauda (cotó ou cauda curta). Não pode ser penalizado por isso. Em repouso, a cauda natural (alcançando pelo menos os jarretes), é, preferivelmente, pendente e pode estar elevada quando o cão estiver em movimento, portada em nível com a linha superior, mas de preferência, não portada mais alta. Uma cauda curvada ou portada sobre o dorso é tolerada.

MEMBROS: de ossatura fina e bem colocados abaixo do corpo.

ANTERIORES

Aparência geral: são retos, quando vistos por qualquer lado e são perfeitamente paralelos, quando vistos de frente; seu comprimento, do solo até os cotovelos, é aproximadamente igual a metade da altura na cernelha.

Ombros: longos e oblíquos; angulação normal.

Braços: longos e adequadamente oblíquos.

Cotovelos: fortes, não virando nem para dentro, nem para fora.

Antebraços: retos, colocados bem separados quando vistos de frente.

Carpos: fortes e não proeminentes.

Metacarpos: curtos; vistos de frente, continuam a linha da perna anterior. Vistos de perfil, são levemente oblíquos.

Patas: pequenas, redondas e fechadas (pés de gato); dedos arqueados, unhas fortes, sempre pretas.

POSTERIORES

Aparência geral: devem estar situados abaixo do corpo e serem perfeitamente paralelos, quando vistos por trás.

Coxas: longas, fortemente musculosas, parecendo mais largas do que são, por causa da densidade dos culotes.

Joelhos: aproximadamente em linha com a garupa; angulação normal do joelho.

Pernas: aproximadamente do mesmo comprimento que as coxas.

Jarretes: bem angulados, sem exagero.

Metatarsos: curtos; ergôs não desejados.

Patas: como os anteriores ou ligeiramente mais longas.

MOVIMENTAÇÃO: a movimentação em trote é flexível e firme com um alcance razoável e uma boa propulsão dos posteriores. A linha superior continua horizontal e os membros se movem paralelamente.

O movimento dos anteriores deve estar e harmonia com o movimento dos posteriores e os cotovelos não devem virar nem para dentro, nem para fora. Com uma velocidade maior, os membros convergem.

PELE: bem aderente sobre todo o corpo.

PELAGEM

Pelo: a pelagem é abundante, espessa e reta, suficientemente áspera, com uma textura fina, seca e resistente ao toque, formando uma excelente proteção junto com o subpelo que é macio e espesso.

Pelos rasos nas orelhas, curtos na cabeça, na parte da frente das pernas anteriores e  nos jarretes. No corpo, o pelo longo é bem assentado. Em torno do pescoço, o pelo  é mais longo e mais arrepiado, começando nas bordas externas das orelhas, formando, especialmente nos machos, mas também nas fêmeas, um longo e típico “tufo” (pelos compridos ao redor do pescoço, em tufos de cada lado), uma “juba” (pelos longos em cima do pescoço, prolongando-se até a cernelha e mesmo nos ombros) e um “jabô” (pelos longos abaixo do pescoço e no peito, estendendo-se por entre as pernas anteriores e desaparecendo gradualmente abaixo do peito.) Atrás das coxas, longos e abundantes pelos cobrem a região anal, cujas pontas são voltadas para dentro, em uma forma muito típica para os culotes. A cauda é guarnecida com pelos do mesmo comprimento que os do corpo.

COR: totalmente preto. O subpelo não precisa ser completamente preto, pode ser também cinza escuro, contanto que esteja completamente escondido pela pelagem de cobertura. Um pouco de cinza é tolerado, por exemplo, no focinho devido à idade.

PESO: entre 3 e 9 kg. Tenta-se obter um peso ideal entre 4 e 7 kg.

FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão.

  • Aparência geral: deselegante, falta de substância, muito longo ou muito curto de pernas; corpo longo, retangular.
  • Cabeça: muito longa ou muito curta. Linhas do focinho e crânio não paralelas; cabeça de raposa; arcadas sobreciliares e bochechas muito proeminentes. região craniana: muito estreita, cabeça muito redonda ou abobadada (cabeça de maçã).

focinho: muito longo, pontudo, espesso, truncado; linha superior convexa.

dentição: mal alinhamento ou má inserção.

olhos: grandes, redondos ou globulosos, claros (cor de avelã, ainda aceitável).

  • Tronco peito: estreito, achatado, cilíndrico. Insuficientemente descido. garupa: longa, oblíqua, alta ou com quebra na região do posterior (transição da garupa para a parte detrás das coxas).
  • Membros: com pouca ou exagerada angulação.
  • Movimentação: movimentos fechados, muito curtos, pouca propulsão, má transmissão dorsal, movimentação alta dos anteriores ou saltando muito na movimentação traseira.
  • Pelagem

Pelo: muito curto (próximo ao corpo), muito longo, muito fino, macio ou sedoso, ondulado, deitado muito achatado no corpo ou pouco pendente ou nenhum tufo, juba ou culote (a ausência dos tufos é uma falta mais séria nos machos); insuficiência de subpelo.

  • Cor: cinza, amarronzado ou avermelhado claro na pelagem de cobertura e ocasionalmente, alguns pelos brancos nos dedos.
  • Temperamento: apático ou tímido.

FALTA GRAVE

  • Dentes: falta de 1 incisivo  (1I), de 3 pré-molares 1 (3 PM1) ou 2 pré-molares 2 (2 PM2).

FALTAS  DESQUALIFICANTES

  • agressividade ou timidez excessiva.
  • todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.
  • falta de tipicidade da raça
  • dentes: prognatismo superior ou inferior mesmo com a perda de contato (tesoura invertida), torção de mandíbula, falta de 1 canino (1 C), de 1 pré-molares (1PM4) superior ou 1 molar inferior (1 M1), de 1 molar (1M1 ou 1M2, exceto M3), de 1 pré-molar 4 (PM4 inferior), 1 pré-molar 3 (1PM3) como qualquer outro dente ou um total de 4 ou mais dentes faltando (excluindo os 4 pré-molares 1).
  • falta de pigmentação na trufa, lábios e pálpebras.
  • orelhas caídas ou semi-eretas.
  • pelagem longa e macia ou sedosa, um tipo de pelagem de pelos longos; franjas de pelos longos nas orelhas, atrás dos membros, etc.; total ausência de subpelo.
  • cor: qualquer cor que não seja o preto (exceto os tons  cinza, amarronzado ou avermelhado) ou com

pequenas manchas brancas mesmo nos dedos.

  • peso: claramente fora dos limites designados.

NOTA:

  • os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.
Designer by Neoware - Criação e Desenvolvimento de Websites e Sistemas - Desafie nossa Criatividade