Padrão de Raça Pelado Mexicano

Pelado Mexicano

Raça: Pelado Mexicano - Xoloitzcuintli

Grupo: Cães de Companhia

Função: Cão de Companhia e Guarda

País de origem: México

Aprovado por: Osmir de Moraes Bastos - Presidente

 

APARÊNCIA GERAL

Variedade sem Pelo: é um cão muito atraente; a característica principal é a ausência total ou quase total de pelo, com uma pele suave e lisa. Seu corpo é bem proporcionado, com peito largo e caixa torácica ampla, com membros e cauda longos.

Variedade com Pelo: é um cão completamente coberto com pelo, muito atraente;com as mesmas proporções harmoniosas da variedade sem pelo. O pelo pode ser de qualquer cor, comprimento e textura. Seu corpo é bem proporcionado, com peito largo e caixa torácica ampla, com membros e cauda longos.

PROPORÇÕES IMPORTANTES: o corpo, medido da ponta dos ombros até a ponta do quadril e desde a cernelha até o solo, é ligeiramente mais comprido em relação à sua altura, aproximadamente de 10:9.

O comprimento do corpo nas fêmeas pode ser ligeiramente mais longo que nos machos, devido à função reprodutora. O comprimento do crânio e do focinho é aproximadamente o mesmo.

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: é um cão silencioso, tranquilo, alegre, alerta e inteligente; desconfiado com estranhos, bom guardião e excelente companheiro. Nunca agressivo.

CABEÇA

REGIÃO CRANIANA

Crânio: do tipo lupóide; largo e forte, em forma de cunha. Visto de cima, é largo e elegante, afinando em direção ao focinho, com a protuberância occipital pouco marcada e com os eixos crânio-faciais quase paralelos.

Stop: levemente marcado, porém, claramente definido.

REGIÃO FACIAL

Trufa: deve ser bem escura em cães escuros; pode ser café ou rosa em exemplares de cor bronze; rosa ou parda em exemplares vermelhos e manchada nos cães manchados.

Focinho: visto de perfil, é reto, com o maxilar e as mandíbulas muito fortes.

Lábios: apertados e aderentes.

Maxilares / Dentes

Variedade sem Pelo: mandíbula forte. Os incisivos devem se fechar perfeitamente, com mordedura em tesoura, isto é, os incisivos superiores sobrepassam os incisivos inferiores tocando com a sua face interna a face externa dos incisivos inferiores, conferindo quadratura às mandíbulas. A mordedura em pinça, nivelada, também é permitida. Não se penaliza a ausência de alguns dentes incisivos, caninos, pré-molares e molares, assim como dentes tortos, já que alguns exemplares não têm raízes profundas; geneticamente a ausência de pelo está intimamente ligada à ausência de dentes.

Variedade com Pelo: requer-se dentição completa, com mordedura em tesoura ou pinça.

Língua: a língua dos “Xolos” é geralmente de cor rosa, porém, pode ter marcas pretas, manchas ou listras, sendo esta uma característica comum na raça; sempre colocada dentro da boca.

Bochechas: ligeiramente desenvolvidas.

Olhos: de tamanho médio e de forma amendoada, com expressão alerta e sumamente inteligente. A cor varia de acordo com a cor da pele, em tons de preto, pardo, castanho, âmbar ou amarelo. Preferem-se os mais escuros possíveis e ambos da mesma cor. As pálpebras bem pigmentadas na cor preta, parda ou cinza nos cães escuros, permitindo-se as pálpebras claras ou rosadas nos cães claros, sem serem estas as mais apropriadas.

Orelhas

Variedade sem Pelo: longas, grandes e expressivas, muito elegantes e de textura delicada; lembram as orelhas de morcego. Sempre eretas em estado de atenção; nesta posição seu eixo deverá ter uma inclinação de 50° a 80° em relação a uma linha horizontal.

Variedade com Pelo: longas, grandes e elegantes. Podem ser eretas ou caídas. Qualquer posição é aceitável; ambas as orelhas devem estar na mesma posição quando em alerta.

PESCOÇO: portado alto e ligeiramente arqueado. Proporcionalmente longo. Delgado, flexível, bem musculoso e muito elegante. A pele é firme, elástica e aderente, sem barbelas. Os filhotes apresentam rugas que desaparecem com a idade.

TRONCO: fortemente construído.

Dorso: perfeitamente reto.

Lombo: forte e musculoso.

Garupa: o perfil deve ser levemente convexo, com uma inclinação de aproximadamente 40º com a horizontal.

Peito: visto de perfil, é longo e profundo, alcançando os cotovelos; as costelas são ligeiramente arqueadas, mas nunca planas. Visto de frente, o antepeito é de boa amplitude; a ponta do esterno não é proeminente.

Linha inferior e ventre: elegantemente marcados. Abdome musculoso e moderadamente esgalgado.

CAUDA: é longa e fina, com alguns pelos duros; afilando da raiz até a ponta no Pelado Mexicano variedade sem pelo e completamente coberta de pelo na variedade com pelo; em movimento é portada alegremente e curvada, nunca enroscada sobre o dorso. Em repouso é caída, com a ponta terminando em um ligeiro gancho. Em algumas circunstâncias a cauda pode estar portada entre os membros, por causa das baixas temperaturas, ou também, pode-se considerar como sendo um sinal de timidez.

A cauda deve alcançar os jarretes. A posição da cauda deve ser uma extensão da garupa quando o cão está em repouso.

MEMBROS

Anteriores

Ombros: planos e musculosos, com boa angulação escápulo-umeral que permita uma movimentação longa, livre e elegante.

Cotovelos: fortes, firmes e ajustados ao tórax, nunca salientes.

Antebraços: vistos de frente, são retos e bem aprumados, verticais ao solo.

Patas: são de comprimento médio (“pés de lebre”), com os dedos arqueados e compactos; apresentam pelos duros no Pelado Mexicano variedade sem pelo e cobertos de pelo no Pelado Mexicano variedade com  pelo; as unhas são pretas nos exemplares escuros e mais claras nos exemplares de cor bronze ou amarelos. As unhas devem ser cortadas. As almofadas são fortes e muito resistentes a qualquer tipo de solo. As membranas interdigitais são bem desenvolvidas. Os ergôs devem ser removidos em todos os membros, exceto nos exemplares que vivem em países onde as leis proíbem tal remoção.

Posteriores

Aparência geral: os posteriores devem ser fortes e bem musculosos. Vistos de trás, aparecem perfeitamente retos e paralelos entre si. As angulações coxo-femoral, fêmur-tíbio-patelar e tíbio-társica são amplas, indispensáveis para permitir uma ação livre e poderosa dos membros. Os jarretes próximos são severamente penalizados.

Os membros posteriores nunca devem ser estreitos quando vistos por trás.

Joelhos: angulação moderada.

Patas: como as anteriores.

MOVIMENTAÇÃO: de acordo com as angulações, deve mover-se livremente, com passos elegantes, longos e flexíveis; em trote rápido e desenvolto, com a cabeça e a cauda sempre portadas altas.

PELE

Variedade sem pelo: devido à ausência total de pelo, a pele desta raça adquire grande importância; é lisa, muito sensível ao toque e se a sente mais quente como resultado de uma emanação direta de calor, devido à ausência de pelo, porém, a temperatura corporal é igual à de outros cães com pelo. A diferença para outras raças com pelo, nas quais o calor se dispersa através da ventilação natural, é que a pele requer maiores cuidados por não ter a proteção natural e por estar exposta ao sol e às inclemências do tempo. Não se penalizam as cicatrizes acidentais. O cão só transpira pelas patas (almofadas e membranas interdigitais) e, por isso, quase não respira de modo ofegante, somente o fazendo no calor extremo. Deve estar livre de problemas evidentes na pele.

Variedade com pelo: é suave e deve estar completamente coberta com pelos.

PELAGEM

Variedade sem pelo: a característica desta raça é a ausência total de pelos no corpo (“cão pelado ou desnudo”); ainda que apresente alguns pelos duros, curtos e densos de  qualquer  outra  cor  na  face e na nuca, porém nunca deve ser mais longo que 2,5 cm, nem tampouco devem formar um topete longo e macio. É usual encontrar pelos ásperos nas patas e no final cauda, porém, caso não existam pelos nestes locais, não deve ser penalizado.

Variedade com pelo: esta variedade apresenta pelo em todo o corpo; pode ser escasso no ventre e na parte interna dos membros posteriores. O pelo pode ser de qualquer comprimento e textura, cobrindo a totalidade do corpo.

COR

Variedade sem pelo: são preferíveis as cores uniformes, sólidas e escuras. A gama de cores varia do preto, preto acinzentado, cinza ardósia, cinza escuro, avermelhado, fígado, bronze ou amarelo; também podem apresentar marcações de qualquer cor, incluindo manchas de cor branca ou tricolores.

Variedade com pelo: pode apresentar qualquer cor ou combinações de cores em diferentes tonalidades.

TAMANHO: existem três tamanhos para machos e fêmeas.

  • Variedade “standard”: maiores  de  46 cm  a  60 cm,  com tolerância de mais 2 cm em exemplares de ótima qualidade.
  • Variedade intermediária:de 36 cm  a  45 cm.
  • Variedade miniatura: de 25 cm  a  35 cm.

FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão.

  • cabeça muito larga.
  • pele frouxa, solta e enrugada em cães adultos.
  • pele do pescoço frouxa, solta e enrugada em cães adultos.
  • barbela excessiva.
  • olhos claros, redondos ou protrusos.
  • dorso afundado (selado) ou arqueado (carpeado).
  • garupa caída.
  • jarretes de vaca excessivos (jarretes muito próximos).
  • cauda enrolada sobre o dorso.
  • cauda curta.
  • patas planas.

FALTAS GRAVES

  • corpo longo e estreito com membros curtos.

FALTAS DESQUALIFICANTES

  • agressividade ou timidez excessiva.
  • todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.
  • cães atípicos.
  • olhos azuis ou manchados de azul.
  • prognatismo superior ou inferior em qualquer variedade do Pelado Mexicano.
  • exemplares com má mordedura, que denotem um mau posicionamento dos maxilares.
  • língua pendente (fora da boca).
  • orelhas cortadas ou caídas nos cães da variedade sem pelo.
  • cauda cortada.
  • pelo em qualquer parte do Pelado Mexicano variedade sem pelo que não seja na cabeça, orelhas, pescoço, patas e cauda.
  • albinismo, cegueira e surdez.
  • cães com altura superior a  62 cm  e  inferior a 25 cm.

NOTA:

  • os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.

IMPORTANTE: O gene que produz a ausência de pelo é dominante. Não obstante, alguns cães nascem com pelo. O cruzamento entre dois cães sem pelo produzirá um menor número de cães com pelo, sendo, portanto, preferível, tendo sido comprovado que este cruzamento mantém e melhora a qualidade da raça.

A combinação do cruzamento entre dois cães da variedade sem pelo propicia a obtenção de um gene letal (25% dos cães homozigóticos), portanto, deve-se ter especial atenção ao mesmo. Devido à raridade da raça e à dificuldade de alguns criadores de localidades distantes em obter um plantel de criação com a finalidade de prover diversidade genética, Pelados Mexicanos com pelo, porém bem estruturados, podem ser utilizados com propósitos de criação, mas nunca para exibição em exposições de beleza. O cruzamento entre Pelados Mexicanos com pelo não está permitido. O plantel de Pelados Mexicanos com pelo, para fins reprodutivos, deve ser proveniente de cães registrados e como resultado do cruzamento de ao menos uma geração de Pelado Mexicano variedade sem pelo com variedade sem pelo

Designer by Neoware - Criação e Desenvolvimento de Websites e Sistemas - Desafie nossa Criatividade