Padrão de Raça Cocker Spaniel Americano

Cocker Spaniel Americano

Raça:  Cocker Spaniel Americano

Grupo: Cães de Caça e Tiro   

Função: Levantador de caça

País de origem: Estados Unidos da América

Aprovado por: Osmir Moraes Bastos - Presidente 

 

APARÊNCIA GERAL É a menor raça dos cães de caça. Compacto, atarracado com uma cabeça refinada e bem cinzelada, o conjunto é equilibrado, balanceado e de tamanho ideal. Ombros bem apoiados sobre os membros anteriores, e a linha superior ligeiramente descendente. Membros posteriores musculosos e moderadamente angulados. O cocker americano é um cão capaz de desenvolver considerável velocidade combinada à grande resistência. Acima de tudo, deve ser livre, alegre, saudável, bem balanceado, e, na movimentação, demonstrar um vivo interesse para o trabalho.

É mais desejável um cão bem balanceado em todas as suas partes do que um cão com qualidades e defeitos fortemente contrastados.

PROPORÇÕES IMPORTANTES: a medida da ponta do esterno até o ísquio é ligeiramente mais longa que a medida do ponto mais alto da cernelha até o solo. O corpo deve ser de suficiente comprimento para permitir uma movimentação livre e fluente. O cão nunca pode parecer longo e baixo.

COMPORTAMENTO e TEMPERAMENTO: equilibrado no temperamento, sem demonstrar timidez.

CABEÇA: para obter uma cabeça bem proporcionada, que deve estar em harmonia com o resto do corpo, é necessário apresentar uma expressão inteligente, alerta, suave e atraente.

Crânio: redondo sem exagero, sem nenhuma tendência ao nivelamento; sobrancelhas claramente definidas. A estrutura óssea abaixo dos olhos é bem cinzelada.

Stop: pronunciado.

REGIÃO FACIAL

Trufa: de tamanho suficiente para trazer equilíbrio entre o focinho, com narinas bem desenvolvidas típicas do cão de caça. É de cor preta, nos cães pretos, pretos e castanhos e pretos e brancos; em outras cores poderá ser de cor marrom, fígado ou preta, melhor a mais escura. A cor da trufa harmoniza com a cor dos contornos das pálpebras.

Focinho: largo e profundo com mandíbulas quadradas. Para ser corretamente balanceado, a distância do stop até a ponta da trufa deve ter a metade da distância do stop ao occipital.

Lábios: o lábio superior é cheio e de profundidade suficiente para cobrir a mandíbula.

Maxilares e Dentes: maxilar quadrado. Dentes fortes e saudáveis, não muito pequenos e mordedura em tesoura.

Bochechas: não proeminentes.

Olhos:  globos oculares são redondos e cheios, olha diretamente para frente. A forma da borda das pálpebras dá uma aparência um pouco amendoados, os olhos não são fracos ou arregalados. A cor da íris é marrom escuro e em geral quanto mais escuro melhor.

Orelhas: lobulares, longas, de cartilagem fina, bem revestidas de pêlos e inseridas não mais altas do que na linha dos olhos.

PESCOÇO: pescoço de comprimento suficiente para o nariz alcançar facilmente o solo, musculoso e sem barbelas. Ele se levanta fortemente a partir dos ombros e se arqueia ligeiramente para articular-se com a cabeça.

TRONCO

Linha superior: ligeiramente inclinada dos ombros até a raiz da cauda.

Dorso: forte, inclinando-se ligeiramente e igualmente dos ombros até a inserção da cauda.

Peito: profundo, e seu ponto mais baixo fica no nível ou pouco abaixo dos cotovelos; seu antepeito é suficientemente amplo para dar lugar ao coração e aos pulmões, mas não tão largo a ponto de interferir no movimento dos membros anteriores. Costelas profundas e bem arqueadas.

CAUDA: A cauda é inserida e portada em uma linha reta com a linha superior das costas, ou um pouco acima, nunca em linha reta como um terrier e nunca tão baixo a ponto de indicar timidez. Quando o cão está em movimento a ação cauda é alegre.

MEMBROS

Anteriores: são retos, paralelos, musculosos e de ossatura forte. Inseridos junto ao corpo bem abaixo da escápula.

Ombros: bem colocados, formando um ângulo com o braço de aproximadamente 90°,  o que permite ao cão movimentar seus anteriores com bom alcance de frente Os ombros são bem definidos, inclinados sem protrusão e articulados de tal maneira, que o ponto mais alto da cernelha faz um ângulo que permite ajustar-se às costelas bem arqueadas.

Cotovelos: vistos de perfil, com os membros anteriores na vertical, os cotovelos estão diretamente abaixo do ponto mais alto da escápula.

Metacarpos: curtos e fortes. O 5º dedo nos membros anteriores pode ser removido.

Posteriores: Vistos por trás, os posteriores são paralelos quando parados e em movimento. São de ossatura forte e musculosos.

Articulação coxofemural: larga e os membros posteriores são bem arredondados e musculosos.

Coxas: poderosas e claramente definidas.

Joelhos: com angulações moderadas. Fortes e sem desvios para dentro ou para fora em movimento ou parado.

Jarretes: fortes e curtos. Ergôs nos membros posteriores podem ser removidos.

Patas: compactas, grandes, redondas e firmes com almofadas grossas. Elas não viram nem para fora, nem para dentro.

MOVIMENTAÇÃO: o Cocker Spaniel Americano é o menor dos spaniels mas possui uma movimentação típica dos cães de caça. O pré-requisito para uma boa movimentação é o equilíbrio entre os anteriores e os posteriores. Ele tem os ombros e os membros dianteiros corretamente construídos, para trabalhar em acordo com a poderosa força de propulsão dos posteriores. 

Acima de tudo, sua movimentação é coordenada, suave e sem esforço. O cão deve ter um bom alcance em sua movimentação. Animação excessiva não deve ser confundida com movimentação adequada.

PELAGEM: na cabeça, curta e fina; no corpo, de comprimento médio com bastante subpêlo para proteção do corpo.

As orelhas, peito, abdômen e pernas são bem franjados, mas sem excesso a ponto de esconder as verdadeiras linhas e movimento de um cocker spaniel, ou afetar sua aparência e a função de um cão de caça moderadamente peludo.

A textura é muito importante. A pelagem é sedosa, lisa ou ligeiramente ondulada e de uma textura de fáceis cuidados. 

Pelagem excessiva enrolada, frisada ou textura de algodão devem ser severamente penalizadas. Não é desejável a tosa feita na máquina para o dorso. A tosa para realçar as linhas verdadeiras do cão deve ser feita de maneira a parecer o mais natural possível.

COR E  MARCAÇÕES

  1. Variedade Preto: cor preta sólida, incluindo o preto com manchas castanhas. O preto deve ser azeviche. Nuanças de marrom ou fígado na pelagem não são desejáveis. Uma pequena mancha branca no peito e/ou na garganta é admissível. Em qualquer outra região dever ser desqualificada.
  2. Variedade ASCOB: (Ascob = Any Solid Color Other than Black = qualquer outra cor sólida exceto preto) indo do creme mais claro até o vermelho mais escuro, incluindo marrom e marrom com manchas castanhas. A cor deve ser de um tom uniforme, mas uma cor mais clara nas franjas é permitida. Uma pequena mancha branca no peito e/ou na garganta é admissível.
  3. Variedade Particolor: duas ou mais cores definidas, uma das quais deverá ser necessariamente branca. Preto e branco, vermelho e branco (o vermelho pode ter tons do creme mais claro ao vermelho escuro), marrom e branco e ruãos, incluindo essas cores com marcas de castanho. É preferível que as marcas castanhas sejam localizadas nos mesmos lugares das  marcas castanhas nas variedades preto e ASCOB.

Os exemplares de cor ruão são classificados como particolor, e podem ser de qualquer tipo de ruão. Se uma cor ocupar uma área igual ou maior que 90% (noventa por cento), deverá ser desqualificado.

  1. Marcação castanho: a cor castanho pode ir do mais leve tom de creme até o tom mais escuro do vermelho, e fica restrita a 10% (dez por cento) ou menos da cor do exemplar. Marcas de castanho em excesso (mais de 10%) são desqualificantes.

No caso das variedades Preto ou ASCOB, as marcas deverão ser localizadas como segue:

1) um ponto de  castanho acima de cada olho.

2) de cada lado do focinho e das bochechas.

3) nas faces internas das orelhas.

4) nas quatro patas e/ou  nos membros.

5) sob a cauda.

6) no peito, opcional: presença ou ausência não deve ser penalizada.

As marcas de castanho que não forem nitidamente visíveis ou que sejam só vestígios devem ser penalizadas. As marcas de castanho no focinho que se estenderem por sobre o focinho e se juntarem, também serão penalizadas. Em um cão das variedades preto ou ASCOB marcado de castanho, a ausência de marcação em qualquer uma das localizações especificadas, é desqualificante.

TAMANHO: o tamanho ideal medido na cernelha, para um macho adulto é de 38 cm e para a fêmea 35,5 cm. 

A altura pode variar em 1,3 cm para cima ou para baixo da altura ideal. O macho cujo tamanho ultrapasse 39,4 cm ou uma fêmea cujo tamanho exceda 36,9 cm deverão ser desqualificados. Um macho adulto cuja altura seja menor que 36,9 cm ou uma fêmea adulta cuja altura seja menor que 34,3 cm deverão ser penalizados. A altura é determinada por uma linha perpendicular do chão até o topo da cernelha, o cão em stay natural, com seus anteriores e posteriores paralelos à linha de medida.

DESQUALIFICAÇÕES

Cor e marcações: as cores anteriormente mencionadas são as únicas cores ou combinações de cores aceitáveis.

Todas as outras cores ou combinações de cores implicam em desqualificação.

Pretos: manchas brancas, exceto no peito e garganta.

ASCOB: manchas brancas, exceto no peito e garganta.

Particolor: a cor principal em 90% ou mais.

Manchas Castanhas:

1) manchas castanhas em excesso de 10% (dez por cento);

2) ausência de marcação castanha nas variedades Preto e   ASCOB,  em  qualquer dos lugares especificados em um cão marcado de castanho

Altura:

machos, acima de 39,5cm;

fêmeas, acima de 37 cm.

FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deverá  ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão.

NOTAS:

 os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.

todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

Designer by Neoware - Criação e Desenvolvimento de Websites e Sistemas - Desafie nossa Criatividade