Padrão de Raça Terrier Irlandes

Terrier Irlandes

Raça: Irish Terrier

Grupo: Cães do Tipo Terrier

Função: Caça, Guarda e Companhia

País de origem: Irlanda

Aprovado por: Osmir de Moraes Bastos - Presidente

 

APARÊNCIA GERAL: o cão tem que mostrar uma aparência ativa, esperta, ágil e  vigorosa; muita substância e ao mesmo tempo sem rusticidade, uma vez que velocidade,  resistência e potência são essenciais. Não deve ser “pesado nem atarracado”, mas deve  ser moldado nas “linhas de velocidade”, mostrando um contorno gracioso. 

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO:o Terrier Irlandês, mesmo que sendo  um cão de caça e capaz de manter-­se com outros cães, é notavelmente fiel, de bom  temperamento e afeiçoado com a espécie humana, mas quando atacado, possui a coragem de um leão e lutará até o final. Sua reputação de procurar briga com outros cães, algumas vezes, mesmo em pistas de exposições, não é merecida.

Embora o terrier possa ser feroz quando a circunstância o chamar para isso, o Irish Terrier pode ser facilmente treinado e gentil, mantendo­-se fiel as antigas descrições de ser  “o sentinela do homem pobre, o amigo do fazendeiro e o favorito do cavalheiro”. 

CABEÇA: longa, livre de rugas.

REGIÃO CRANIANA 

Crânio: plano e bastante estreito entre as orelhas, estreitando-­se ligeiramente para os olhos. 

Stop: dificilmente visível, exceto de perfil. 

REGIÃO FACIAL 

Trufa: deve ser preta. 

Lábios: bem ajustados e de contorno externo quase preto. 

Maxilares: devem ser fortes e musculosos e de bom comprimento. 

Dentes: devem ser fortes e alinhados, sem cáries e os incisivos superiores sobrepõem­ se ligeiramente aos inferiores. 

Bochechas: não muito cheias. Deverão ter uma leve depressão logo abaixo dos olhos, para não ter a aparência de Greyhound. 

Olhos: devem ser de cor escura, pequenos, não proeminentes e cheios de vida, sagacidade e inteligência. Olhos amarelos ou claros são muito indesejáveis. 

Orelhas: pequenas, em forma de V, de espessura moderada, bem inseridas na cabeça  e dobradas para a frente rente às faces. A linha da dobra da orelha deve ficar bem acima do nível do crânio. Uma orelha pendente na lateral, como a de um “hound”, não é uma característica de um terrier, entretanto, uma orelha semi­ereta é ainda mais indesejável. A pelagem da orelha deve ser curta e de cor mais escura que a do corpo. 

PESCOÇO: deve ser de comprimento razoável e gradualmente se alargando para os ombros, de bom porte e sem barbelas. Geralmente, há uma espécie de crista visível  em cada lado do pescoço, indo próxima às orelhas. 

TRONCO: deve ser simétrico, nem muito longo nem muito curto. 

Dorso: forte e reto, sem apresentar indícios de debilidade entre os ombros. 

Lombo: musculoso e levemente arqueado. O lombo das fêmeas pode ser ligeiramente mais longo que o dos machos. 

Peito: profundo e musculoso, sem ser cheio nem largo. Costelas razoavelmente  arqueadas, mais para profundas que para arredondadas e bem anguladas para trás.

CAUDA: deve ser inserida bastante alta, portada alegremente mas não sobre o dorso  ou enrolada. Bem robusta e substanciosa e razoavelmente longa. Habitualmente amputada a 2/3 do seu tamanho original. Bem revestida por uma pelagem dura e livre de franjas ou tufos. A cauda natural (sem corte) só é permitida nos países onde a amputação é proibida por lei. 

MEMBROS: ambos, anteriores e posteriores movimentam-­se direcionados para a frente. 

Anteriores 

Ombros: devem ser refinados, longos e bem inclinados. 

Cotovelos: trabalhando livremente nas laterais. 

Antebraços: moderadamente longos, perfeitamente retos com boa ossatura e musculatura. 

Metacarpos: curtos e retos, quase imperceptíveis. 

Posteriores: devem ser fortes e musculosos. 

Coxas: poderosas. 

Joelhos: moderadamente angulados. 

Jarretes: próximos ao solo. 

Patas: fortes, razoavelmente redondas e moderadamente pequenas; dedos arqueados e  corretamente direcionados para a frente. Unhas pretas são mais  preferidas. Almofadas saudáveis e livres de rachaduras ou calosidade. 

MOVIMENTAÇÃO: anteriores e posteriores paralelos e  direcionados para a frente. 

Cotovelos movendo-­se  paralelos ao eixo do corpo, livre nas laterais, joelhos não virando nem para dentro nem para fora. 

PELAGEM 

Pelo: denso e de textura de arame, conferindo aparência quebradiça, porém bem assentes, crescendo tão próximos e fortes que quando afastados com os dedos a pele não pode ser vista, sem maciez ou aparência sedosa e de comprimento razoável para não ocultar o contorno do corpo, particularmente nos posteriores e sem rarefação ou cacheados. No focinho, a pelagem tem a mesma descrição que a do tronco, porém curtos (em torno de 0,75cm de comprimento), quase lisos e retos, uma barba moderada  são os únicos pelos longos (e só são longos em comparação com o resto do pelo) isso é permitido e é característico. Uma barba de “bode” sugere que os pelos sejam sedosos e geralmente uma pelagem ruim pelo tronco. 

Membros: sem franjas e cobertos, como a cabeça, com textura dura como a pelagem do tronco mas não tão longa. 

COR: deve ser unicolor, sendo vermelho, vermelho trigo ou vermelho amarelado. 

Branco as vezes no peito. Uma pequena quantidade de branco é frequentemente vista em raças de uma só cor. 

TAMANHO / PESO 

Altura na cernelha: aproximadamente 45,5cm. 

Peso: machos 12,25 kg. 

fêmeas 11,4kg. 

FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deverá ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade. 

FALTAS ELIMINATÓRIAS 

Trufa: qualquer cor além do preto. 

Maxilares: prognatismo superior inferior evidentes. 

Cor: qualquer cor que não seja o vermelho, vermelho amarelado ou vermelho trigo. Uma pequena mancha de branco no peito é permitida como em outras raças de cor uniforme. 

Patas: rachadura ou desenvolvimento de calosidade  nas almofadas. 

NOTAS: 

  •  os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.
Designer by Neoware - Criação e Desenvolvimento de Websites e Sistemas - Desafie nossa Criatividade