Artigos

17/01/2017

Displasia coxofemoral

Saiba quais são os sintomas, diagnóstico e tratamento

O que é?

A displasia coxofemoral é uma degeneração da estrutura que conecta a cabeça do fêmur com a pélvis dos cães, sendo hereditária na maioria das vezes ou adquirida devido a fatores externos como nutrição, ambiente e exercícios. Ocorre com maior frequência em raças de médio e grande porte como: Labrador, Pastor Alemão, São Bernardo, Rottweiler dentre outros, embora também possa acometer cães pequenos e gatos, mas com muito menos frequência.

 

Sinais clínicos

Os sintomas são bem variados e não muito específicos. O cachorro pode apresentar dor na região traseira, dificuldade para se locomover e levantar, mancar nos membros traseiros, andar deslocando o peso para os membros dianteiros, hesitação para subir e descer escadas, perder a musculatura dos membros, andar rebolando ou com pequenos pulos como coelhos e dificuldade em defecar.

Em alguns casos o cão chega a ficar agressivo por conta da sua condição e, em situações mais graves, pode perder a habilidade de mexer as patas traseiras, já que deixa de usar a região para evitar a dor, causando a atrofia dos músculos da área.

 

Diagnóstico

O diagnóstico da displasia coxofemoral é feito somente por meio de radiografias solicitadas durante a anamnese e exame clínico.

 

Tratamento

O tipo de tratamento indicado irá depender do nível de dor do cão e de evolução do problema. Na maioria dos casos, medicamentos como analgésicos, anti-inflamatórios e condroprotetores já podem ajudar a diminuir a dor do animal, recuperando boa parte dos movimentos que eram difíceis de executar. Já os casos mais complexos devem ser tratados apenas com cirurgias.

 

Caso seu cão apresente alguns dos sintomas citados acima, procure um veterinário o quanto antes!

Designer by Neoware - Criação e Desenvolvimento de Websites e Sistemas - Desafie nossa Criatividade